Licença Paternidade


Respondendo a dúvida de diversos de nossos leitores, hoje iremos falar um pouco sobre a alteração que ocorreu este ano, referente a licença paternidade para os Servidores Públicos.

Antigamente a já conhecida licença maternidade era motivo de grande alegria para as mães e famílias, mas também era motivo de muito medo dos empregadores. Estes por sua vez ficavam temerosos ao contratar uma mulher para sua empresa.

Isso porque além da licença maternidade, eles eram obrigados a dar o benefício da estabilidade.

No caso dos País como era e como ficou

Se você trabalha no setor privado, infelizmente não houve alteração para você. As alterações foram concedidas atualmente apenas para pais que são funcionários públicos Federais, ou seja, municipais e estaduais também não entram nessa turma.

Sendo assim, se você é um funcionário público federal, terá direito as novas regras.

Antigamente o período disponibilizado para licença paternidade seguia o mesmo padrão da CLT que é de 5 dias corridos, o que para a maioria é visto como um período muito curto já que além dos cuidados com a mãe e a criança, existem uma série de burocracias para serem resolvidas durante estes dias.

Licença Paternidade - Pai de costas segurando o filho sorrindo no colo

Agora com a nova regra, os funcionários públicos federais poderão dispor de 20 dias para cuidas de suas famílias e descansar com sua esposa após a correria do parto e nascimento do novo filho.

A medida também vale para casos de adoção, se você adotar um filho você terá direito a estes dias pelos mesmos motivos que são a adaptação da criança no núcleo familiar e burocracias com a papelada necessária.

E quanto ao Salário no período de licença paternidade?

Durante os 20 dias de licença você terá direito ao seu salário normalmente, sem nenhum desconto. Isso é garantido a você que apresentar toda a documentação necessária para dar entrada na solicitação dos seus dias.

Fique atento a novas mudanças e também as notícias no site do Extrato INSS que sempre traz informações fundamentais para o trabalhador brasileiro que contribui mensalmente com o INSS.


COMENTÁRIOS: